O que iremos comer, beber e respirar em Marte

Nós poderemos ter assentamentos humanos em Marte mais cedo do que você pensa. Como será a vida lá? 

vida em marte
Você consegue se imaginar vivendo em Marte? Imagina como seria a vida lá?

Conforme o filme “The Martian“(O Marciano) deixa bem claro, o planeta vermelho é um lugar perfeitamente horrível para viver. Embora não tenha as tempestades de poeira mostrados no filme, a superfície está desprotegida contra a radiação mortal. Com uma temperatura média abaixo dos -15°C em suas latitudes médias, ou seja, em relação a Marte, a Antártica pode ser considerada um ótimo lugar para um piquenique. E você não pode respirar a atmosfera que é 95% dióxido de carbono.

Apesar de tudo isto, estamos propensos a ter os assentamentos humanos em Marte, mais cedo do que você pensa. A SpaceX de Elon Musk tem como objetivo colocar uma dúzia de seres humanos no planeta em 2027. A NASA, que recentemente encontrou sinais de água que flui no planeta, diz que vai deixar astronautas por lá, eventualmente. Uma vez que o transporte for estabelecido, os assentamentos não ficarão muito atrás. Assim como as pessoas conseguirão sobreviver em um ambiente hostil a 400 milhões de quilômetros de distância?

A primeira coisa a considerar é a comida. Nas primeiras décadas, a maioria dela será trazida da terra, liofilizada. Mas não ficaremos sem verduras frescas.Embora os experimentos na Terra mostram que o solo marciano seja um bom meio para cultivo de plantas, os colonos provavelmente vai optar por métodos mais controláveis, tais como cultivo de plantas em água(hidroponia) ou ar(aeroponia). Produtos cultivados em Marte seriam principalmente para um impulso psicológico. As pessoas gostam de cultivar legumes frescos.

Quanto à água, se toda a água de Marte derretesse ou viesse para superfície, ela cobriria o planeta cerca de mil pés de profundidade. Ela possui reservatórios subterrâneos, congelada no solo, encontrada em forma de geleiras em baixa de uma camada de poeira, como gelo nos polos, e até mesmo, ocasionalmente, flui na forma do que podem ser fontes. No entanto, não é fácil de se obter ou derreter. Assim os primeiros colonos estão propensos a usar um desumidificador desenvolvido pela NASA para extrair água da atmosfera úmida de Marte.

Na Terra estamos protegidos dos raios cósmicos e da radiação solar pela nossa atmosfera densa e pelos campos magnéticos, ambos inexistentes em Marte. Uma maneira de bloquear a radiação é a construção de abrigos com o empilhamento de solo(conhecido como regolito em Marte) ao redor deles. A NASA tem um dispositivo para fabricação de tijolos inteligente que adiciona um pouco de plástico ao regolito e os aquece em um forno de microondas, por isso, os colonos poderiam construir paredes de tijolo grossas. Um cenário mais simples seria a de encontrar cavernas. Tubos de lava, criados pela ação vulcânica, poderiam ser especialmente úteis.

Os seres humanos conseguem suportar 14,7 libras por polegada quadrada de atmosfera acima deles. Marte tem bem pouca pressão, a roupa pressurizada especial é obrigatória; sem ela, nossos corpos iriam inchar, e nossa pele e os órgãos romperiam. Estudos indicam que podemos sobreviver com um mínimo de 5 libras de pressão, o que significa que as roupas em Marte pode ser relativamente leve e confortáveis, ao contrário dos trajes espaciais desajeitados como se você estivesse indo mergulhar nas profundezas do oceano.

E, claro, temos que respirar. As máquinas podem ajudar. A NASA planeja enviar um dispositivo experimental chamado Moxie a Marte em 2020 para testes. Ele pode processar a atmosfera de Marte e retirar o oxigênio dela, tanto para combustível de foguetes quanto para respiração.

Em pouco tempo, a ida de novos peregrinos será agravada pelas dificuldades de Marte e iremos insistir na tentativa de torná-lo mais parecido com a Terra. Esta terraformação será possível principalmente com o aquecimento do planeta. Muita coisa acontece se apenas alterarmos a temperatura nos pólos em alguns graus. Uma estratégia é colocar velas solares gigantes parecidas com espelhos em órbita para refletir a luz solar sobre os pólos. Isso poderia acrescentar alguns graus rapidamente, o que poderia iniciar uma reação contínua.

O dióxido de carbono congelado nos pólos se transformaria em gás, engrossando a atmosfera bloqueando muito mais a energia solar. Marte iria entrar em um ciclo de gases do efeito estufa. Em poucas décadas, a água líquida poderia estar fluindo em zonas temperadas ao redor do equador. A água permitiria que algumas plantas crescessem, adicionando assim, oxigênio para a atmosfera. O vapor de água iria bloquear mais radiação.

Uma ação mais radical, seria usar vírus modificados para alterar os nossos próprios genes. Poderíamos criar uma variante de seres humanos que poderiam respirar mais dióxido de carbono e serem mais resistentes à radiação(os alienígenas seremos nós no futuro). Nós provavelmente vamos chamar essas pessoas marcianos, e eles podem precisar de trajes espaciais e capacetes especiais para visitar a Terra.

Tudo isso pode parecer muito, mas considere que, em um bilhão de anos, o nosso sol vai começar a morrer e expandir, consumindo a Terra e ameaçando Marte. Outros planetas em nosso sistema solar vão fazer de Marte como sendo o paraíso. Em algum momento, teremos que tornar-nos uma espécie verdadeiramente aventureira saindo para o espaço para encontrar uma casa semelhante à Terra em um sistema solar completamente diferente. Marte será nossa prática.

♦♦♦♦♦♦♦♦♦♦

Essa é uma tradução livre feita por Suprimatec do artigo escrito por Stephen L. Petranek, ex-editor-chefe da Discover Magazine e autor do livro “Como viveremos em Marte.” Para ver o artigo original em inglês clique no link a seguir: What We’ll Eat, Drink and Breathe on Mars

11 comentários em “O que iremos comer, beber e respirar em Marte

  • 26 de outubro de 2015 em 14:44
    Permalink

    Interessante. Uma ação muito prática, seria aproveitar Marte para estudar o comportamentos de robôs móveis inteligentes. Estou curiosa para saber 🙂

    Resposta
    • 26 de outubro de 2015 em 14:46
      Permalink

      É muito fascinante esse desenvolvimento, essa evolução que teremos ao conquistarmos Marte, é certo que encontraremos muitos percalços, mas aprenderemos muito com certeza. Obrigado por participar Gissele

      Resposta
  • 26 de outubro de 2015 em 15:01
    Permalink

    ui, que grande reflexão. alterar genes? estamos assim tão próximos?!

    Resposta
    • 26 de outubro de 2015 em 15:04
      Permalink

      Bom, este artigo foi escrito por um autor de livros, não sei ao certo se estamos assim tão perto, mas pode acreditar que existem muitas coisas que iremos saber apenas quando estiverem funcionando. Você sabe né, especulação é uma arma poderosa nas mãos dos detentores de poder. É bem coisa de ficção mesmo né.

      Resposta
    • 26 de outubro de 2015 em 15:26
      Permalink

      Mas esse é um processo natural, conquistar e destruir, não preservar. Infelizmente é assim meu caro colega.

      Resposta
    • 27 de outubro de 2015 em 13:56
      Permalink

      Theoretically it would be, but we have many challenges to overcome before we reach Mars. Thanks for participate

      Resposta

Obrigado por ler, deixe seus comentários e não esqueça de compartilhar

%d blogueiros gostam disto: