tiro em primeira pessoaTecnologia 

Jogos eletrônicos poderiam consertar cérebros danificados?

tiro em primeira pessoa
Jogos de computador de tiro em primeira pessoa, tais como Medal of Honor, podem ajudar a reabilitar pacientes com traumatismo craniano

Um estudo inovador realizado pela Universidade Macquarie, na Austrália, descobriu que jogos de computador de tiro em primeira pessoa, tais como Medal of Honor, podem ajudar a reabilitar pacientes com lesões cerebrais traumáticas, ou traumatismo craniano.

Este tipo de lesão pode deixar os pacientes com danos cerebrais incapazes de realizar as tarefas básicas do dia a dia ou voltar a trabalhar, porque eles têm problemas no processamento de informações básicas. No estudo, Cognitive Rehabilitation of Attention Deficits in Traumatic Brain Injury using Action Video Games: A Controlled Trial (Reabilitação Cognitiva de déficits de atenção em traumatismo craniano usando vídeo games de ação: um estudo controlado), a neuropsicóloga Dr. Alexandra Vakili detalha um estudo piloto sobre pacientes com este tipo de lesão.

Os participantes foram treinados em um primeiro jogo de tiro em primeira pessoa, enquanto foi ensinado a eles habilidades e estratégias com base nos problemas apresentados no jogo, para ver se o programa iria ajudar a melhorar a sua atenção e capacidade de processar informações. Fundamentalmente, os participantes não só tem melhorado no jogo, mas foram capazes de realizar algumas tarefas diárias mais rápidas e com mais sucesso do que o grupo controle.

“Este tipo de lesão pode ter implicações ao longo da vida”, disse o Dra. Alexandra Vakili, “a reabilitação é um processo longo, mas sem nenhuma intervenção o paciente nunca mais poderia voltar ao trabalho. Os benefícios econômicos da reabilitação das funções cognitivas beneficiam tanto o indivíduo quanto a comunidade em geral.”

O estudo usou um jogo de ação de vídeo game e um console de jogos disponível comercialmente como uma ferramenta de reabilitação cognitiva para a lesão cerebral traumática(traumatismo craniano), com base em pesquisas anteriores demonstram que a ação dos jogadores de videogame se tornaram mais rápidas e os julgamentos mais precisos.

Tendo em conta que o grupo demográfico típico de sobreviventes a lesões cerebrais traumáticas são homens jovens, uma intervenção assistida por computador tem um apelo imediato e reduz a necessidade de equipamento especializado.

“O que precisamos agora”, disse o Dra. Alexandra Vakili, “são ensaios clínicos randomizados maiores nesta área, para construir sobre os resultados positivos relatados pelos participantes. O potencial que o jogo de ação tem em ajudar este grupo de pacientes é realmente emocionante.”

Publicado pelo jornal de livre acesso Cogent Psychology, o artigo está disponível gratuitamente para ler, copiar e compartilhar no endereço: http://cogentoa.tandfonline.com/doi/full/10.1080/23311908.2016.1143732

Compartilhe!

Publicações relacionadas

Leave a Reply

8 Thoughts to “Jogos eletrônicos poderiam consertar cérebros danificados?”

  1. Meus filhos adoram essas matérias em que são apontados aspectos positivos dos videogames e jogos eletrônicos… 🙂

    1. Hahahaha eu também, sempre que acho uma eu vou postar!

      1. Meu marido também adora quando surgem pontos positivos dos games 😂

        1. Fala pra ele ler a matéria então hahaha

  2. nossa que interessante!!! gosto de ler esses estudos.. acho muito interessante como são aplicados no dia a dia
    Cris

    1. Quando se trata de jogos sempre existe uma pequena resistência dos mais conservadores, mas aos poucos a resistência é vencida com tais estudos, obrigado por participar da discussão!

  3. […] Eles vão ser lançados primeiro no PC e, em seguida Xbox One e, eventualmente, PS4, sem datas de lançamento definidas para um único console. Todd Howard confirmou que vai lanças os primeiros mods no início de 2016. Jogos eletrônicos poderiam consertar cérebros danificados? […]

Obrigado por ler, deixe seus comentários e não esqueça de compartilhar

%d blogueiros gostam disto: