Você sabe qual é o maior objeto no cosmos?

Astrônomos examinavam o espaço e descobriram uma super estrutura com aproximadamente 830 galáxias que está a bilhões de anos luz da Terra, ela foi chamada de BOSS Great Wall, ou A Grande Muralha BOSS.

O Universo é uma teia de aglomerados gigantes
O Universo é uma teia de aglomerados gigantes de matéria ao redor espaços vazios./Volker Springel/Max Planck Institute For Astrophysics/SPL

Aqui está o mais recente lembrete de que o espaço é muito, muito grande. Em um local fresco bilhões de anos-luz de distância, um complexo e longínquo super aglomerado de galáxias pode ser a maior estrutura já encontrado no cosmos.

Galáxias individuais como a nossa Via Láctea estão unidas pela gravidade em clusters, e esses agrupamentos por sua vez se reúnem em super aglomerados. Ainda, estes podem, por sua vez , estarem vinculados em longas filas de galáxias chamadas paredes. Em escalas grandiosas, o universo se assemelha a uma teia cósmica de matéria ao redor espaços vazios, e essas paredes são os fios mais grossos.

No universo próximo, conhecemos a Grande Muralha Sloan, e, em 2014, descobriu-se que a Via Láctea faz parte de um sistema de super aglomerado chamado Laniakea. Ambas são enormes. Mas a BOSS Great Wall recém descoberta, com uma massa total talvez 10.000 vezes maior que a Via Láctea, é dois terços maiores do que qualquer um deles.

Laniakea
Laniakea é um Superaglomerado de galáxias, onde a Via Láctea, e outras galáxias vizinhas como Andrômeda, está localizada.
  • A Grande Muralha Sloan (do inglês Sloan Great Wall) era a segunda maior estrutura conhecida no universo ficando atrás apenas do Huge-LQG . Trata-se de um gigantesco conjunto de galáxias descoberto em 2003 por J. Richard Gott III e Mario Jurić e colaboradores da Universidade Princeton. Fonte: Grande Muralha Sloan – Wikipédia, a enciclopédia livre

Heidi Lietzen do Instituto das Ilhas Canárias de Astrofísica e sua equipe descobriram que, encontraram ela olhando para as galáxias agregadas em uma vasta área entre 4,5 e 6,4 bilhões de anos-luz de distância. Em todo esse espaço, um denso sistema, gigante se destacou.

“Ela foi muito maior do que qualquer outra coisa neste volume”, diz Lietzen. A BOSS Great Wall contém 830 galáxias que podemos ver e provavelmente muitas mais que estão muito longe e fraca para ser observada por telescópios de rastreamento.

Como outras paredes de galáxias, o tamanho deste um é um pouco subjetivo.

“Eu não entendi totalmente por que elas estão conectando todas essas caracteristicas juntos para chamá-los de uma única estrutura”, diz Allison Coil, da Universidade da Califórnia em San Diego. “Há claramente torções e dobras nesta estrutura que não existem, por exemplo, na Grande Muralha Sloan.”

Brent Tully, da Universidade do Havaí, que descobriu o cluster Laniakea, diz que decidir o que constitui uma única estrutura depende de sua definição.

Uma região densa de galáxias é tradicional, diz ele, e na verdade o novo muro contém cinco vezes mais galáxias do que se fosse fazer uma médias das que existem hoje. Mas rastrear se as galáxias estão se movendo juntas, impossível, dado o quão longe elas estão, poderia dar uma resposta diferente.

gama ray
Explosões de raios gama são breves, porém intensas, explosões de radiação eletromagnética de alta frequência. Essas explosões emitem tanta energia como o sol durante todo o seu tempo de vida, o que corresponde a 10 bilhões de anos.

Super aglomerados de galáxias também têm uma concorrência para a coroa do “maior objeto conhecido”. Algumas fontes de luz distantes como quasares e explosões de raios gama parecem estarem agrupados em certas regiões do céu. Se elas estão realmente conectadas, elas pertencem a estruturas tão grandes que as teorias cosmológicas atuais não podem explicá-las.

Mas muitos astrônomos não tem certeza de que esses objetos realmente estão juntos, como eles não têm um mecanismo físico para ligá-los. Em vez disso, eles preferem olhar para grandes ligações de galáxias que ficam na rede cósmica. Nesse cenário, o recém-descoberto BOSS Great Wall é o rei.

Jornal de referencia: arxiv.org/abs/1602.08498, aparece em Astronomia e Astrofísica

Fonte: News Scientist

Obrigado por ler, deixe seus comentários e não esqueça de compartilhar

%d blogueiros gostam disto: