infelizesSociedade 

Como chefes abusivos se tornam infelizes

chefes abusivos se tornam infelizes

Quando os líderes abusam do seu poder sobre os outros, eles também acabam sentindo os efeitos negativos, sugere um novo estudo.

“Nós sempre pensamos que aqueles que têm poder são melhores, mas ter poder não é universalmente ou exclusivamente bom para o detentor do poder”, diz Trevor Foulk, que liderou a pesquisa de doutorado no Colegiado de Negócios da Universidade de Flórida em Warrington.

Foulk e seus colegas pesquisadores descobriram que os líderes que agiam abusivamente com os colegas tiveram problemas em relaxar após o trabalho e eram menos propensos a se sentir competentes, respeitados e autônomos no local de trabalho. As descobertas, publicadas no Jornal da Academia de Gestão, decorrem de pesquisas de 116 líderes em áreas como engenharia, medicina, educação e banca ao longo de um período de três semanas.

Quando os líderes se sentiram poderosos

chefes abusivos se tornam infelizes

Ao invés do poder estrutural, a posição de um líder na hierarquia, o estudo examinou o poder psicológico ou o poderoso líder que se sente, que muda à medida que se movem durante a jornada de trabalho. Quando os líderes se sentiram poderosos, eles eram mais propensos a agir de forma abusiva e perceberem mais incivilidade de seus colegas de trabalho, o que, por sua vez, prejudicava seu próprio bem-estar.

“Isso mostra o roteiro sobre a liderança abusiva”, diz Foulk. “Nós tendemos a assumir que pessoas poderosas simplesmente circulam e abusam e estão totalmente bem com isso, mas o efeito do poder no suporte de poder é mais complexo do que isso”.

O ataque lateral dos efeitos negativos do poder pode exigir que repensemos as qualidades que procuramos em um líder. O estudo de Foulk sugere que líderes agradáveis, aqueles que valorizam a proximidade social, relações positivas e harmonia no local de trabalho, podem ser menos suscetíveis ao mau comportamento provocado pelo poder psicológico.

Também é possível que, ao longo do tempo, as conseqüências do poder psicológico sejam auto-corretivos. Se um líder age de forma abusiva, então vai para casa e se sente mal por isso, ele ou ela pode voltar a trabalhar no dia seguinte, se sentindo menos poderoso e se comportando melhor, um fenômeno que Foulk está estudando para um futuro documento.

Embora um chefe que grite, amaldiçoe ou deprecie, pode não parecer merecer a nossa simpatia, “eles estão sofrendo também”, diz Foulk.

“Mesmo que seu chefe possa parecer um idiota, eles estão reagindo a uma situação de uma forma que muitos de nós fariam se estivéssemos no poder. Não é necessariamente que sejam monstros”, acrescenta.

Fonte: Universidade da Flórida

Publicações relacionadas

5 Thoughts to “Como chefes abusivos se tornam infelizes”

  1. Muito interessante o seu post. Estudo coisas parecidas na faculdade, em Psicologia do Trabalho. Gostei.

    1. Obrigado Alan, tenha certeza que virão mais publicações assim! Obrigado pelo feedback

  2. […] Veja a publicação completa em Suprimatec Magazine. […]

Obrigado por ler, deixe seus comentários e não esqueça de compartilhar

%d blogueiros gostam disto: