Bem Estar 

Cientistas descobrem que o alecrim pode aumentar a memória em 75%

O alecrim é uma erva maravilhosa com uma tradição de uso milenar. Possui inúmeros usos na cozinha e na medicina naturalista.

Você sabia que o alecrim foi associado ao aprimoramento da memória desde a antiguidade?

É verdade, e já foi referido desde a última parte da era isabelina ao período romântico primitivo como a erva da lembrança. No Hamlet de Shakespeare, Ophelia diz: “Há alecrim, isso é para lembrar.” (Hamlet, iv. 5.)

Também tem sido usado como um símbolo para a lembrança durante casamentos, comemorações de guerra e funerais na Europa e na Austrália. [1] Os enlutados nos velhos tempos o usariam como um botão, queimá-lo como incenso ou lançá-lo em túmulos como um símbolo de lembrança para os mortos.

Parece que esta tradição do alecrim pode realmente ser muito mais antiga e tem suas origens no mundo árabe da época medieval, muito avançado na ciência: em 1578 de Henry Lyte “Niewe Herball”, uma versão em inglês do tratado francês de Rembert Dodoens, está escrito “Os árabes e seus sucessores das Físicas, dizem que o Alecrim conforta o cérebro, a memória e os sentidos internos, e que restabelece a fala, especialmente a conservação das flores, com Açúcar, para serem usadas diariamente”. [2]

Por causa dessa associação aparentemente esotérica, o alecrim foi, às vezes, transformado em uma espécie de amuleto de ervas, onde foi colocado sob fronhas ou simplesmente como um buquê por causa do cheiro, e acreditava-se que o uso de alecrim dessa maneira poderia proteger o dorminhoco de pesadelos, além de aumentar sua memória.

O que é fascinante é que vários estudos científicos já encontraram resultados notáveis ​​para os efeitos do alecrim na memória:

O óleo de alecrim na aromaterapia como agente que promove a clareza mental foi validado pelo estudo de Moss, Cook, Wesnes e Duckett (2003), em que a inalação de óleo essencial de alecrim aumentou significativamente o desempenho para qualidade geral de memória e memória secundária fatores de participantes do estudo. [3]


Mais recentemente, em 2012, um estudo sobre 28 pessoas mais velhas (média de 75 anos) encontrou melhorias estatisticamente significativas dependentes da dose no desempenho cognitivo com doses de pó de folha de alecrim seco. [4]

Outro estudo de Mark Moss e Lorraine Oliver na Northumbria University, Newcastle identificou 1,8-cineole (um composto do alecrim) como um agente potencialmente responsável pelo desempenho cognitivo e humor. [5]

Outros estudos realizados por Mark Moss e equipe encontraram melhorias na memória de até 75% surpreendentes devido à difusão do óleo essencial de alecrim. [6]

Agora, se você está perguntando “Como é possível que um aroma possa melhorar a memória?” – Bem, essa é uma ótima questão.

Aqui está uma citação fascinante de um dos artigos científicos referenciados: “Os compostos voláteis (por exemplo, terpenos) podem entrar na corrente sanguínea através da mucosa nasal ou pulmonar. Os terpenos são pequenas moléculas orgânicas que podem facilmente atravessar a barreira hematoencefálica e, portanto, podem ter efeitos diretos no cérebro, atuando em locais receptores ou sistemas enzimáticos “. [5]

Os terpenos são componentes primários dos óleos essenciais e muitas vezes são cheirosos, responsáveis ​​por uma variedade diversificada de aromas naturais. Verificou-se também que 1,8-cineol entra na corrente sanguínea de mamíferos após inalação ou ingestão. [7]

Estou interessado em saber se alguém usa o alecrim como um intensificador de memória. Talvez você possa levar algum com você na próxima vez que você tiver um exame e ver se isso ajuda com a consulta? Uma última dica para te inspirar ainda mais: Lavanda.

Em um estudo de 1998 publicado no International Journal of Neuroscience, o alecrim foi encontrado para aumentar o estado de alerta, mas a lavanda foi encontrada não só para aumentar o estado de alerta, mas também para aumentar a precisão nos testes de matemática! [8] Nesse ritmo, eu posso sentir a possibilidade de uma mistura mágica de óleos customizada para um boost cerebral enorme. 😉

Fonte: Humans-Free/ herbs-info.com.

Referências:

[1] Henry Lyte “Niewe Herball”, 1578, p.264 books.google.com
[2] awm.gov.au
[3] Moss M., Cook J., Wesnes K., & Duckett P. (2003). Aromas de alecrim e óleos essenciais de lavanda afetam diferencialmente a cognição eo humor em adultos saudáveis. International Journal of Neuroscience, 113(1): 15-38. Retirado de 24 de março de 2013 do site ncbi.nlm.nih.gov
[4] ncbi.nlm.nih.gov
[5] ncbi.nlm.nih.gov
[6] RobertTisserand.com
[7] ncbi.nlm.nih.gov
[8] ncbi.nlm.nih.gov

Publicações relacionadas

2 Thoughts to “Cientistas descobrem que o alecrim pode aumentar a memória em 75%”

  1. […] indigestão, dor de cabeça, dor nas articulações, resfriado e gripe, circulação fraca e muito mais além. Para fazer seu próprio óleo essencial de alecrim, siga as etapas descritas neste […]

Obrigado por ler, deixe seus comentários e não esqueça de compartilhar

%d blogueiros gostam disto: