Conhecimento 

Baboseira científica: Como a ciência é usada para enganar o público

Você sabia que havia um estudo chocante publicado na Biblioteca Pública do Jornal de Ciências, que descobriu que “até 72%” dos cientistas admitiram que seus colegas estavam envolvidos em “práticas de pesquisa questionáveis” e que apenas mais de 14% estavam envolvidos em “falsificação” definitiva?

Se isso não é ruim o suficiente, entre 1977 e 1990, a FDA encontrou falhas científicas em 10% a 20% de todos os estudos que auditaram.

Mas fica ainda pior; cientistas da empresa de biotecnologia Thousand Oaks, Amgen, tentaram verificar os resultados de 53 estudos publicados em seus campos de pesquisa sobre câncer e biologia do sangue.

O que eles encontraram foi chocante; apenas 6 dos 53 estudos podem ser comprovadamente válidos. Isso significa que quase 90% eram falhas, mas passaram ao público como fatos.

Em outras palavras, há muita besteira científica flutuando por ai meus amigos.

Isso se torna especialmente importante quando consideramos como a “ciência” parece ter substituído a religião organizada como a nova autoridade que deve ser cegamente obedecida de muitas maneiras.

As pessoas falam como se fosse infalível, e qualquer pessoa que questiona os sumos sacerdotes da ciência geralmente é atacada, degradada e destituída como hereges modernos.

Mas a ciência, assim como qualquer religião, não é um deus que apenas fala a verdade não adulterada.

Está longe de ser infalível e constantemente precisa ser atualizada, desafiada, revisada e alterada, pelo simples fato de que a ciência está sujeita aos limites restritos da pequena percepção humana errada da humanidade; que está sempre crescendo e se expandindo, e facilmente distorcido por coisas como preconceito, orgulho e corrupção.

Por si só, a ciência é, obviamente, inanimada e não pode fazer nada de bom nem de mau porque não tem a menor ideia.

Não é uma pessoa, então precisamos parar de falar sobre ciência como se fosse um super-herói. É simplesmente um veículo que requer um meio, e o destino, obviamente, difere de um meio para o próximo.

Professor adimite ter feito vacina falsa de AIDS para ganhar 19 milhões de dólares. 26 de dezembro 2013

Enquanto alguns podem ter a busca séria da verdade objetiva em mente, a maioria pode ser corrompida pela busca de dinheiro (como o professor da Universidade do Estado de Iowa, Dong-Pyou Han, que agora está preso pela fraude da vacina contra a AIDS), o desejo pela fama , ou simplesmente preconceito pessoal e orgulho egoísta.

E para ajudar a lembrar as pessoas por que eles não devem confiar cegamente na “ciência”, ou qualquer outro corpo de suposto conhecimento para esse assunto, eu decidi escrever este breve artigo sobre como a besteira científica tem sido usada ao longo da história para manipular nossas percepções e crenças.

Big Tabaco e a Indústria do Açúcar

Há mais de meio século, a indústria do tabaco usava a ciência como uma arma para convencer os ingênuos e crédulos sobre a segurança de seus cigarros.

Observe a frase-chave “Evidência científica” / Crédito da imagem: Adpast.com

 

Uma série de diferentes organizações médicas e revistas, incluindo o New England Journal of Medicine e o Journal of the American Medical Association (JAMA), estavam de fato na folha de pagamento da Big Tabaco e ajudaram a promover sua agenda através da promoção de “ciência” falha .

crédito da Imagem: Tobacco Exhibits

Observe a frase chave de persuasão no anúncio acima; “… os resultados finais, publicados em revistas médicas autorizadas, provaram de forma conclusiva que, quando os fumantes mudaram para Philip Morris, todos os casos de irritação foram claros ou definitivamente melhorados”.

Da mesma forma, a indústria açucareira contratou um grupo de cientistas de Harvard para esconder o vínculo entre o açúcar e a doença cardíaca na década de 1960, e a International Sugar Research Foundation (ISRF) suprimiu um estudo que mostrou que o açúcar poderia potencialmente aumentar o risco de câncer de bexiga.

Isso é algo que todos precisamos entender meus amigos; nossa sociedade global é executada como um negócio, não como uma organização sem fins lucrativos que valoriza a vida humana.

E isso significa que qualquer linha de profissão pode ser facilmente corrompida pelo dinheiro. Infelizmente, nossos problemas são sistêmicos e têm suas raízes neste paradigma dolorosamente falho.

A Manipulação da Ciência ainda continua hoje

Na história mais recente, a administração Bush foi pega manipulando a ciência para se adequar à sua agenda. O grande petróleo também subornou cientistas para encenar sua narrativa.

Da mesma forma, o gigante biotecnológico Monsanto e a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA) também foram pegos envolvidos nessa prática antiética juntos. Esta não é a primeira vez que a Monsanto foi pego agindo desta forma também.

No Canadá, um grupo de cientistas testemunharam que o gigante dos OGM(Organismos geneticamente Modificados) lhes ofereceu um suborno de US $ 1 a 2 milhões, e na Indonésia foram multados por se envolverem em suborno de um funcionário do governo também.

Outro gigante da biotecnologia, Syngenta, contratou cientistas para desacreditar a professora Tyrone Hayes, que realizou pesquisas que descobriram seu herbicida Atrazina representou riscos à saúde da população. Merck foi levado ao tribunal por dois cientistas que reivindicaram os testes das gigantes da Big Pharma sobre a eficácia da vacina foram manipulados.

A Coca Cola também foi apanhada pagando cientistas (no valor de $ 132,8 milhões) para minimizar a gravidade do consumo de suas bebidas açucaradas e outros produtos insalubres. Na verdade, as corporações fazem isso o tempo todo.

Um exemplo perfeito, é um estudo realizado pela Universidade do Colorado que afirmou que o refrigerante dietético era melhor para promover a perda de peso saudável do que a água. Sem surpresa, este estudo foi financiado pela indústria de refrigerantes.

Outro estudo afirmou que as crianças que comiam doces pesam menos do que as crianças que não, e são menos propensas a serem obesas. Isso, sem surpresa, novamente, foi financiado por uma associação comercial que representa gigantes de doces Butterfingers, Hershey e Skittles.

Conclusão

Hoje, uma série de práticas questionáveis ​​em nome da ciência continuam. Infelizmente, a manipulação (ou incompetência) da ciência é algo que provavelmente nunca será realmente eliminada da sociedade porque está enraizado na falibilidade humana e na corrupção.

Isso não quer dizer que o conceito de ciência não atinja um propósito importante, porque certamente o faz; Eu uso pessoalmente métodos e princípios científicos diariamente na minha vida e até confiei em pesquisas científicas para destacar a corrupção dentro da comunidade científica neste blog.

Mas isso foi escrito especificamente para lembrar a todos que a “ciência” pode ser usada para enganar-nos, foi usada para enganar-nos, e sempre deve ser questionada como resultado.

Os cientistas, obviamente, precisam de dinheiro para realizar suas pesquisas, e as corporações que colocam lucro material acima da vida humana têm muito disso. A mão que dá geralmente controla a mão que leva.

Até que nós criemos um sistema que promova a educação não adulterada, mais do que a propaganda e a ignorância; e recompensa a integridade mais do que a vontade de fazer qualquer coisa por “dinheiro”, esse tipo de comportamento patético humano persistirá por razões óbvias.

Escrito por Gavin Nascimento, fundador de aNewKindofHuman.com

Fonte: HumansFree

 

Publicações relacionadas

Obrigado por ler, deixe seus comentários e não esqueça de compartilhar

%d blogueiros gostam disto: