ameaças à saúde públicaSaúde 

Bill Gates Revela as maiores ameaças à saúde pública nos próximos 10 anos

Se soubermos quais são, podemos trabalhar para corrigi-las.

Bill e Melinda Gates lançaram seu primeiro relatório anual “GoalKeepers”, uma celebração de marcos fundamentais na saúde pública e um olhar sobre as questões ainda mais urgentes.

As vitórias incluem declínios consideráveis na mortalidade infantil e taxas de infecção pelo HIV, enquanto as lutas em curso incluem o planejamento familiar e a igualdade para as mulheres.

Em uma recente conferência com repórteres, Bill Gates denominou doenças infecciosas e crônicas como as duas maiores preocupações de saúde pública na próxima década.

“As doenças crônicas, incluindo coisas como diabetes ou doença de Alzheimer, condições neurológicas, são cada vez mais o que é o grande problema”, disse Gates. “Em muitos países ainda em desenvolvimento, você tem doenças infecciosas, seja malária, diarréia, pneumonia, [tuberculose], HIV, ainda em grande número”Alzheimer não destrói memórias, mas bloqueia

Muitas das doenças crônicas encontradas em países desenvolvidos ou ainda em desenvolvimento decorrem de fatores ambientais, alguns dos quais são mal compreendidos.

Nos países desenvolvidos, por exemplo, as taxas de Alzheimer e demência têm aumentado há anos. Nos EUA, o número de números de estimativa de Centros para Controle de Doenças triplicará até 2050.

Os cientistas ainda não definiram causas específicas para o aumento, e, muitas vezes, atribuem o aumento a fatores como genética, dieta e engajamento social.

Doenças cardíacas são as principais ameaças à saúde pública

Outras doenças crônicas são mais diretas. Os maiores assassinos nos EUA, por exemplo, são doenças cardíacas e câncer, que coletivamente são responsáveis ​​por cerca de 1,2 milhão de mortes por ano. Gates disse que os maiores encargos nesses países desenvolvidos são os custos de pesquisa e desenvolvimento para a criação de medicamentos mais eficazes.

Já, os pesquisadores estão fazendo incursões em busca de diagnósticos de câncer mais inteligentes e precisos. Alguns laboratórios americanos criaram exames de sangue experimentais que podem diagnosticar câncer meses antes do que as técnicas padrão de ouro-padrão.

“Eu acho que você pode ser bastante esperançoso, haverá um grande progresso lá”, disse Gates. Conheça a nova arma de combate ao câncer

As doenças infecciosas são uma raça diferente. Insetos portadores de doenças, como mosquitos que infectam pessoas com malária, sentam-se ao lado de água potável impura, condições de vida insalubres e práticas de saúde sexual precárias como principais condutores da doença.

Nesses casos, Gates disse que o ônus dependia de órgãos governamentais e fundações como a sua própria para prestar ajuda ao país em desenvolvimento, enquanto os esforços de pesquisa trabalham em soluções permanentes, como as vacinas. 8 alimentos que causam câncer e a solução.

“Não há o mesmo tipo de mercado, o mesmo tipo de oportunidade de cobrar por drogas lá”, disse ele. Como resultado, os países em desenvolvimento na África Oriental e na América Central dependem mais do financiamento e da ajuda externa.

Uma das maiores preocupações para Gates avançar é o HIV. Registaram-se progressos consideráveis nos últimos 15 anos para diminuir o crescimento do HIV a nível mundial, mas o financiamento está a abrandar.

No relatório, Gates expressou preocupação de que uma população africana inchada poderia fazer com que o número de novos casos subisse rapidamente nos próximos anos. “Essa é uma perspectiva assustadora”, escreveu ele. “Sem investimentos em P&D, não teremos as novas descobertas que facilitarão a prevenção do HIV”.

Este artigo foi originalmente publicado pela Business Insider. Fonte: Science Alert

Publicações relacionadas

Obrigado por ler, deixe seus comentários e não esqueça de compartilhar

%d blogueiros gostam disto: